0

O dia que Èsù ajudou a Orunmìlá a enganar Ikú

Casa de Oxumarê
16 de julho às 21:11 ·
O Dia em que Orunmilá, o Deus da Divinação Arrebatou Ojontarigi, a Esposa de Ikú, com a Ajuda de Èsù.
Uma antiga história yorùbá narra que Ikú tinha uma única esposa, que se chamava Ojontarigi. Orunmila Ibikeji Olodunmare, o segundo de Deus, no entanto, almejava Ojontarigi para tornar-se sua esposa. Sabedor que isso poderia causar-lhe grandes problemas, consultou o oráculo sagrado com o objetivo de saber se seria vencedor em sua empreitada. Na consulta, foi orientado que deveria realizar sacrifícios a Èsù Odara e que nesse sacrifício tudo deveria ser em dobro. Orunmilá prontamente realizou os sacrifícios e conquistou Ojontarigi para si, ele não queria que aquela bela mulher vivesse ao lado de Ikú.
Ao saber que Ojontarigi havia partido com Orunmilá, Ikú pegou o seu porrete à caçada de Orunmilá e viajou por longos sete dias. Ao chegar na casa do Deus da Divinação, Ikú encontrou Èsù Odara que o interpelou:
“Ojepe (apelido de Ikú), você aqui? Para onde está indo”?
Ikú respondeu que estava indo encontrar Orunmilá, que agora estava junto com Ojontarigi e que não poderia deixar de matar Orunmilá por conta disso.
Èsù Odara disse que Orunmilá não estava em casa, mas que poderia ficar ali com Ikú até a chegada de Orunmilá. Nesse tempo, Èsù Odara pegou parte das oferendas que Orunmilá havia lhe feito e deu para Ikú, que estava com fome, em razão dos dias de viagem até chegar à casa de Orunmilá. Ikú saciou-se com toda a comida e bebida.
Feito isso, Èsù Odara novamente questionou Ikú o que estava fazendo ali. Ikú respondeu:
“Eu já lhe disse, Èsù Odara, estou aqui para matar Ikú, que tomou Ojontarigi”.
Èsù então respondeu:
“Mas Ikú, você saciou sua fome e sede com a comida e bebida de Orunmilá. Como pode comer a comida de um homem, beber a água desse homem e depois matá-lo”?
“Mas essa comida e bebida pertenciam à Orunmilá, questionou Ikú”?
Sim, toda essa bebida e comida são de Orunmilá, tudo o que está aqui é de Orunmilá. Sabedor do Ewó, Ikú partiu e deixou Orunmilá viver.
Após a partida de Ikú, Èsù Odara pegou a outra parte da oferenda (que havia sido feita em dobro) e comeu e bebeu até também se saciar. Ikú, não voltou a procurar Orunmilá nem Ojontarigi.
Que Osumare Araka continue olhando e abençoando todos!
Casa de Osumare
O Dia em que Orunmilá, o Deus da Divinação Arrebatou Ojontarigi, a Esposa de Ikú, com a Ajuda de Èsù.

Uma antiga história yorùbá narra que Ikú tinha uma única esposa, que se chamava Ojontarigi. Orunmila Ibikeji Olodunmare, o segundo de Deus, no entanto, almejava Ojontarigi para tornar-se sua esposa. Sabedor que isso poderia causar-lhe grandes problemas, consultou o oráculo sagrado com o objetivo de saber se seria vencedor em sua empreitada. Na consulta, foi orientado que deveria realizar sacrifícios a Èsù Odara e que nesse sacrifício tudo deveria ser em dobro. Orunmilá prontamente realizou os sacrifícios e conquistou Ojontarigi para si, ele não queria que aquela bela mulher vivesse ao lado de Ikú.

Ao saber que Ojontarigi havia partido com Orunmilá, Ikú pegou o seu porrete à caçada de Orunmilá e viajou por longos sete dias. Ao chegar na casa do Deus da Divinação, Ikú encontrou Èsù Odara que o interpelou:

“Ojepe (apelido de Ikú), você aqui? Para onde está indo”?

Ikú respondeu que estava indo encontrar Orunmilá, que agora estava junto com Ojontarigi e que não poderia deixar de matar Orunmilá por conta disso.

Èsù Odara disse que Orunmilá não estava em casa, mas que poderia ficar ali com Ikú até a chegada de Orunmilá. Nesse tempo, Èsù Odara pegou parte das oferendas que Orunmilá havia lhe feito e deu para Ikú, que estava com fome, em razão dos dias de viagem até chegar à casa de Orunmilá. Ikú saciou-se com toda a comida e bebida.

Feito isso, Èsù Odara novamente questionou Ikú o que estava fazendo ali. Ikú respondeu:

“Eu já lhe disse, Èsù Odara, estou aqui para matar Ikú, que tomou Ojontarigi”.

Èsù então respondeu:

“Mas Ikú, você saciou sua fome e sede com a comida e bebida de Orunmilá. Como pode comer a comida de um homem, beber a água desse homem e depois matá-lo”?

“Mas essa comida e bebida pertenciam à Orunmilá, questionou Ikú”?

Sim, toda essa bebida e comida são de Orunmilá, tudo o que está aqui é de Orunmilá. Sabedor do Ewó, Ikú partiu e deixou Orunmilá viver.

Após a partida de Ikú, Èsù Odara pegou a outra parte da oferenda (que havia sido feita em dobro) e comeu e bebeu até também se saciar. Ikú, não voltou a procurar Orunmilá nem Ojontarigi.

Que Osumare Araka continue olhando e abençoando todos!

Casa de Osumare
CurtirCurtir · · Compartilhar · 2.658114746